segunda-feira, maio 11, 2015

Eu queria mais


Não perdi meu filme favorito na TV a cabo, nem mesmo a melhor estreia dos últimos anos no cinema, não perdi aquele ônibus pra felicidade que costumávamos fantasiar que existia, não perdi dinheiro, ou o emprego dos meus sonhos, meus melhores amigos, não tomei um fora, não! não é nada disso.
É que eu tô assim, assim meio sei lá, é daquele jeito, sabe? aquele que você já sabe muito bem, e me recordo das diversas vezes em que eu estava assim e você me dizia tão calma e serena de que tão logo tudo ia passar, e passava, não sei como nem porque, mas passava, alias, passou como tudo na vida vida passa, só o que não passou é essa saudade do que não fomos.
Essa coisa inexplicável que é não suportar a sua ausência, sua indiferença, e como você parece estar assim tão bem e tão melhor sem mim. É terrivelmente assustador saber que eu não to conseguindo lidar com um dia "sei lá" eles me eram tão comum, mas parece que só eram porque eu ainda tinha você, alias eu não tinha, parece uma incoerência de minha parte, mas eu sempre amei aquilo que podíamos ser, talvez apenas pela brevidade daquilo que fomos.
Eu queria muito mais, sabe, eu queria você andando pela minha casa com uma camiseta velha qualquer que você achou no guarda-roupas do quarto ou quem sabe jogada em cima do sofá, queria você abrindo a geladeira reclamando a falta daquele suco que você tanto gosta, ou da marca da minha margarina, ou da textura do requeijão. Eu queria você implicando com a minha arrumação e bagunçando tudo apesar da minha implicância, eu queria cozinhar pra você te olhando discretamente enquanto seus olhos fixos na TV nem percebem o meu estado de contemplação, queria que soubesse que ninguém faz miojo melhor do que eu, e que eu sei pedir a melhor pizza da região, queria dividir meu pote de sorvete napolitano com você e depois te dar um beijo gelado daqueles bem lambuzados e depois de te sujar toda de sorvete dividir o meu chuveiro com você, mas também queria dividir o sofá, a cama, mas você precisa saber que eu fico sempre com o lado esquerdo, alias, por você eu até perderia esse costume, desde que os nossos corpos estivessem sempre colados e entrelaçados, eu queria te colocar no meu peito e te fazer carinho na nuca até você dormir, beijar a sua testa repetidas vezes como quem diz: "relaxa que eu te cuido", eu queria reclamar das tuas crises, do teu ciume, te provocar até você perder a linha, mas te fazer rir bastante só para pode te provocar de novo, queria que você ficasse pro jantar e usasse aquela minha camisa xadrez que já não me serve desde que fosse sua única peça de roupa, queria te acariciar, te fazer cocegas, até faria uma massagem e olha que eu sei fazer uma boa massagem. Eu queria... Eu quis.
Tem tanta coisa que você não sabe sobre mim, tem tanta coisa que eu queria te mostrar, que eu queria te apresentar, que eu queria que você soubesse. Tantas coisas que eu me cobro todos os dias, e essa saudade há essa saudade desconcertante e esse desejo meio bobo, doido e desajeitado me assombra, me bagunça, é que você me bagunça, bagunça minha cabeça, minha memoria, meus neurônios bagunça o meu coração.
Eu não queria te querer tanto, ou sei lá querer tanto aquilo que poderíamos ser, na verdade eu queria e isso me irrita muito, é que hoje é só mais um dia daqueles em que apenas um pouquinho de você como já era comum me faria um bem tão grande.
E eu queria estar aqui quando você voltasse. Eu queria que eu fosse o motivo para você voltar. 
Mas o dia já esta quase terminando talvez isso tudo passe antes mesmo do outro dia chegar.

sexta-feira, maio 01, 2015

O Deus que conheci

Como conceber a ideia de um ser superior que controla toda a terra desde sempre e para toda a eternidade? Como entender esse alguém muito maior, que de tão superior até mesmo o universo não seria capaz de conte-lo, mas que ao mesmo tempo se acomoda dentro de cada ser humano? 
ELE é tão alto que não o posso atingir mas é o mesmo que se ajoelhou para ensinar-nos ao lavar os pés de seus discípulos, ele é o mesmo que esteve desde o princípio, se assim não fosse nada do que foi feito o seria. 
Um Deus, uma divindade, um ser tão superior, dono de todo o poder, criador de todo universo, ele não cabe em definições, alias nada o pode resumir se não uma única palavra; "AMOR" em minha mera compreensão, em minha mente frágil confinada aquilo que dele um dia aprendi não seria capaz de conhece-lo. A REVELAÇÃO sobre ele seria em todo aparente e limitada o poder de sua palavra parecia não ser o suficiente para demonstrar o que ele era, o que ele sentia, e não porque a sua palavra seja falha, mesmo que não creia que ela seja inerrante, sei que o seu poder é eterno para penetrar os corações, mas foi preciso que esse Deus viesse até nós, para que assim de uma vez por todas fosse aberto o caminho entre ele e os homens. E foi por isso que ele humanizou-se entre os humanos, despiu-se de suas forças absolutas, tornou-se excepcionalmente frágil para que o pudêssemos perceber e reconhecê-lo alem do limites de sua habitação, não por força, ou por poderes, mas tão somente pela GRAÇA.
Essa que nos envolveu quando estávamos submersos em nossas fraquezas, e tão cheios de nós mesmos eramos incapazes de reconhecer o pecado que dele nos afastava, incapazes de reconhecer nossa fragilidade que nos fazia inerte, então negociávamos o hoje, o que de nós seria manifesto e revelado ao publico, vivíamos com medo da exposição, medo de sermos quem realmente somos, escondidos por trás de mascaras, porem, pela graça; mergulhamos em um oceano de amor onde não se pode conhecer os limites, Limites? Eu nem sei se existem limites para esse amor, ou seria no amor? Talvez não seja possível entender a dimensão ou a profundidade, mas a realidade não vivida e ainda desejada por muitos já esta proposta, o chamado para a vida não é para sermos o que nunca poderemos ser, mas sim para sermos só o que conseguimos ser plenamente HUMANOS.
Entende-lo talvez não nos seja possível, pois nossa procura esta no Deus da religião o Deus que não é Deus mas sim um ídolo, um Deus Terrível o “Poderoso Castigador” Simplesmente porque a religião não permite que ele seja visto de uma forma diferente.
A autentica imagem de Deus que nos foi revelada em Jesus destoa das visões de fé que tentam e tendem apresentar-nos um Deus terrível, e essa falsa interpretação de Deus no decorrer da historia nos leva a idolatria, onde pensamos poder barganhar com Deus, onde o isso ou aquilo pode move-lo ao nosso favor. Nesse conceito já não existe relacionamento em amor, pois esse deus só se compadece de sacrifícios, e se eu não os fizer não tenho o seu favor.

Para conhecê-lo preciso partir do principio, e este é que o projeto de Deus para nossas vidas não são realidades distantes, e muito menos um plano futuro, ou simplesmente uma vida feliz no pós-morte. As escrituras sagradas descrevem o projeto divino como um pacto de amor e fidelidade a ser proposto à liberdade e a vontade humana e em sua realidade concreta, onde esse pacto é a confirmação de uma aliança afetiva onde somos livres para dizer sim ou não, mas ao recebê-lo temos a certeza de estar imerso nesta experiência amorosa e podemos sentir-nos valorizados e acolhidos por um ser que ama, que da sentido e consistência ao existir.

Ter a percepção verdadeira do Deus da bíblia me livra da falsa ideologia do "eu onipotente", do tudo posso e nada me acontece...
Crer na graça e no amor desse Deus, não é permissão para uma vida sem rédias ou para o descontrole, ou como muitos dizem; viver essa graça que permite tudo, a graça só nos faz reconhecer que nada é preciso fazer quanto a nossa salvação, isso no que diz sentido ao sacrifício, porque ele já pagou o preço por nós, deu sua vida para que através de tal sacrifício hoje vida tivéssemos, ele no libertou para que fossemos de fato LIVRES e tão livres que não precisamos mais nos prender a nada.
E podemos desfrutar dessa liberdade em amor e viver para honra-lo e conhece-lo como ele é.

Daí nos essa mentalidade Senhor.



Soli deo Glria
27/09/2011

William Longo

quinta-feira, abril 23, 2015

Amor tranquilo com gosto de simplicidade.



Cheiro de café assim logo de manhã ou de tardinha, isso, logo que é coado, sabe? aquele cheiro gostoso exalando, é uma mistura de sensações, traz leveza, traz a sensação da calmaria, do abrigo, traz vontades, saudades, traz lembranças. É que cheiro de café me faz lembrar do que é simples.
E pode ser que exista varias formas de faze-lo, muitas que eu desconheço, mas café pra ficar bom, bastam 5 colheres de pó extra forte e quatro de açúcar e depois é só apreciar.
Como tudo que é bom e simples, basta nos a vontade pra que a mesma seja logo saciada, como um bom café logo ao acordar, ou numa tardezinha na varanda, apreciando o por do sol enquanto a mente viaja, ou aquele que diz bom dia e obrigado como sinal de que a noite anterior valeu muito a pena.
Mas simplicidade é mais do que algo que é meramente fácil, por mais simples que seja não é fácil ser tão simples, e isso porque vivemos um momento onde a complexidade parece fazer muito mais sentido, e eu sou do tipo que teima sobre os "sentidos" da coisa toda, mas isso é outra historia.
Estranhamente tudo de leve, de gostoso, de fácil, de prazeroso pelo simples que é, parece ter perdido toda a graça, talvez a coisa se inverteu, alias a coisa toda se inverteu, o que existe é a sensação de que amores fáceis não merecem nossa atenção.
Eu gosto mesmo é do gostar sem ter porque, alias acredito que o gostar em si a principio é todo e o principal motivo, do querer pelo querer, sem o jogo da manipulação sem a coisa da neura por trás de tudo de bom que esta rolando.
Essa coisa de complicar o que é simples, traz o peso de algo que não nos parece bom o bastante e nisso sempre vai faltar alguma coisa, tem açúcar demais ou pó de menos, na verdade não, e a coisa toda esta na medida certa da apreciação.
É gostosa essa coisa do eu quero e vou deixar rolar, sem culpas, sem responsabilizar a pessoa por nada muito menos compara-la a ninguém, assim como o café apesar do cheiro estonteante que exala não é igual se coado por mãos diferentes, besteira? haha eu vivo tirando a prova. 
Porque bom é aquela coisa que acontece com leveza, sem exigências, sem reivindicações, do eu quero porque eu te gosto, do eu quero porque eu te quis, do vamos sair pra jantar, vamos pegar um cinema, sei lá, dar um passeio, quem sabe isso tudo não termine de fato num bom café da manhã.
O que eu quero é a leveza de um amor tranquilo com gosto de simplicidade, que de tão leve que nem mesmo o tempo leve e se levar que me deixe a vontade de tentar de novo e de novo e de novo, assim como eu sempre quero cheiro de café exalando, necessito de um amor simples pra viver e pra ser seja la o que for.

quarta-feira, abril 22, 2015

Eu preciso desse negocio que chamam de amor!


Tudo bem eu sei, eu não tenho que lamentar pelo que não foi, alias foi um escolha minha, eu decidi parar o tempo enquanto tudo rotineiramente acontecia a minha volta, como se eu tivesse o meu próprio tempo, inventava pro coração que a gente podia suportar mais um pouquinho e mais um pouquinho, até que esse pouco se estendeu tanto que já não cabia nas medidas da saudade, e eu perdi. Perdi o jogo, virei a mesa, briguei com meus fantasmas, jurei viver de solidão, fiz planos, armei a cena toda, ah eu quis sequestrar você. Mas tudo o que eu consegui dizer foi; "Tô indo embora, pra nunca mais voltar". É absolutamente complicado, eu gosto dessa coisa de chamar de minha, de ter por dias, sou mesmo fascinado por esta coisa de despir a alma, do olhar que pede mais do que uma noite de sexo, eu jurei pro céu, pro mar, juro que quase me rendi a simpatia, mas nossa historia não passou de um quase, putz e como os "quases" me apavoram.
A verdade é que nossa proximidade sempre me fez ver exatidão, até nas nossas escolhas erradas, até nos encaixes desencaixados que haviam em nós, rolava uma coisa que era inegável e não era só pele, ta tudo bem, parece que você exalava o meu prazer, e eu me rendia a cada pedacinho seu como se você fosse o meu abrigo, e o nosso silencio? Ah o nosso silencio falava mais do que as varias horas perdidas em todas as nossas muitas discussões, é claro! O problema não é só termos sido um quase, é que de nós ou "agente" como costumávamos dizer, não tínhamos nenhuma duvida.
Acontece que por muitas vezes o futuro parecia ser o lugar onde você se encontrava numa esperança absurda que eu jamais soube de onde vinha, você parecia ter uma fé avassaladora de que nós realmente seriamos nós, mas eu jã não tinha mais tempo, eu já não me importava tanto com o que ainda viria e muito menos como seria, eu só queria que meu hoje fosse com você.
E não é uma lamentação como todas as outras, eu escrevo hoje porque eu gosto mesmo de exaltar essa coisa deliciosa que houve entre nós, porque eu ainda vou ser o seu homem por muito tempo, e você vai negar muito pra si mesma, mas sabe que também vai ser minha mulher, mesmo que não sejamos um do outro, o nosso quase sera sempre a interrogação mais desconfortável e porque não dizer desconcertante, porque você se preocupava em saber como foi meu dia, tinha varias crises de ciumes, algumas até desnecessárias, mas você também se preocupava com o meu prazer.
Porque eu te achava linda mesmo ao acordar, ou com aquela roupa que você odiava mas que usava pra fugir do frio, mas não fugia do flash, porque sabia o quanto eu te adorava nela, e por isso fazia questão de registrar, talvez você ainda use, e quem sabe ela te lembre um pouco de mim, sei lá.
Mas hoje, só por hoje, eu quero escrever, quero falar sobre tudo, mas quero me prometer que não vou mais falar de você. Porem, quero que de nós a gente nunca esqueça e eu não preciso continuar falando pra não esquecer, as vezes a gente se prejudica enquanto fala, enquanto espera, enquanto não vive; na espera de uma boa oportunidade nós perdemos as melhores possibilidades, e sim eu ainda te quero, mas não quero mais me perder, hoje eu quero ser o motivo do sorriso de alguém mas alguém que não precise mais esconder o sorriso tampouco disfarçar os motivos, eu só quero um pouco dessa coisa que chamam de amor.
Quero a sensação de uma vida inteira na primeira pagina, e na segunda, e na terceira.  porque eu quero o todo com gosto de novo, com desejo de quero mais, com vontade do pra sempre que não acaba.
Ok! pode ser o que o pouco que eu queira seja mesmo muito, mas esse muito é o minimo que todos nós necessitamos, é mais do que essa coisa de pertencer a alguém é o lance todo de poder ter alguém que queira, que possa e que precise estar aqui mesmo podendo estar em qualquer outro lugar, eu quero a primeira pagina e milhares de outras, quero historias, bonitinhas, fofas, nem tão fofas, mas quero mais que um quase eu só quero um pouco dessa coisa que chamam de amor.

terça-feira, abril 07, 2015

De repente um sorriso!


Ai você se depara com um sorriso lindo e fica ali parado, abismado, completamente complexo, e tentando imaginar o que poderia estar por trás de tamanha perfeição, a vida como um filme passa na sua mente, nesse momento de caos, alegria e desespero você tenta conectar as partes da sua vida em que parecia que algo lhe faltava, mas aquele sorriso, há aquele sorriso parece um pedaço do céu, aquele sorriso é como um sinal de que a vida parece querer lhe sorrir de novo.
Nada mais de ruim parece existir, é como se tudo nesse pequeno momento fosse perfeição, caracas que doidera, ai você descobre a força inevitável que tem por trás de um sorriso.
Que coisa louca, tudo acontecendo tão rapidamente ao seu redor, mas ao mesmo tempo é como se o universo tivesse parado, aqueles pequenos segundos de contemplação tem o poder e a força de fazer qualquer marmanjo descolado ficar boquiaberto e completamente perdido.
Junta-se a isso o desejo inevitável de chegar mais perto, de querer pra ti, de ter o controle do tempo para eternizar tamanha perfeição.
O olhar distante meio disfarçado pelo medo de ser notado, mas é evidente uma certa química no ar, o olhar pede um beijo, o desejo pede resposta, o coração acelera desesperadamente e você pensa ferrou esta acontecendo de novo, mas há uma coisa que não se pode negar o teu corpo inteiro sabe-se lá porque deseja incontrolavelmente ser o motivo dos próximos sorrisos.
A sua mente voa, você quer saber, quem é ela, por onde andou, com quem esteve, se esta sozinha, e se esta porque esta?.
Você não se contenta apenas em olhar, você quer chegar mais perto, quer saber mais a respeito, sentir o cheiro, saber o nome, estar juntinho, sei la falar coisa bonitas ou apenas saber se existe proximidade e calor.
A verdade é que um sorriso, algo assim desproposital, inesperado conseguiu fazer com que tudo absolutamente tudo em sua vida fosse reavaliado, suas vontades desconexas essas coisas que não aconteciam, seus planejamentos, absolutamente tudo é rapidamente esquecido pela força de um sorriso.
A coisa mais intrigante é que muita coisa pode ter acontecido, quem sabe você esteja por ai, saindo pra tentar esquecer um velho amor, tentando lidar com a indiferença e os porquês que a vida traz.
Esquece tudo isso, não se preocupe com mais nada, hoje pode ser o seu dia de sorte, corre se apresenta pra ela, paga uma bebida, fala sobre você tire-a  pra dançar ou apenas confesse o quanto você ficou derrubado por esse sorriso encantador, pode ser que a vida queira mesmo sorrir pra você.


sexta-feira, março 27, 2015

Sua Escolha


Eu já não sei mais o que me pertence depois que você se foi, a verdade é que você foi tão minha que eu jamais poderia prever um futuro sem você.
Eu sei o quanto eu me doei para que isso fosse possível e não, eu não te culpo, alias a culpa é toda minha, o erro é meu por não saber mais ser eu desde que fomos nós, a culpa é minha porque eu escolhi estar vulnerável, eu quis te dar o meu coração e nessa brincadeira eu me tornei tão seu que já não sabia ser só meu.
Eu te dei tudo! toda a minha admiração, toda a minha verdade, toda a minha fé, te dei meus sonhos ocultos, dividi com você as coisas mais absurdas e as que não teria coragem de dizer a mais ninguém, te dei toda a minha coragem, por você eu fui capaz despertar desejos, vontades, necessidades que eu sequer sabia que existiam.
Eu abri as portas do meu mundo pra você; na esperança de que você pudesse ser tão minha quanto eu estava disposto a ser tão seu.
Por você eu perdi aquele meu medo de se enganar novamente, alias amar é mesmo isso, é aceitar essa coisa de que apesar de tudo corremos o risco de ficar com a dor, a magoa a decepção.
Amar é essa coisa de não prevenir-se, de não controlar-se, de se perceber de mãos atadas é de se oferecer por inteiro é viver nesse mundo com as portas abertas, desejando que o que há do lado de cá seja suficiente para que não exista retrocesso.
É valorizar todas as renuncias não importando o quanto tenham sido difíceis, é não anular a chance da decepção, é não querer o fim, é sonhar com que a reciproca seja verdadeira, é estar disposto a se ver assim; sabendo que eu lhe dei todas as chances pra você mentir, pra você me trair, pra você sumir, pra você fugir, mas você escolheu ficar aqui e me ver assim tão sem rumo, tão sem graça, tão sem nada, tão sem você.


Devaneios, apenas devaneios.

terça-feira, março 24, 2015

O amor precisa de amor


Eu tô aqui a horas olhando o teclado do computador enquanto todas as letras embaralham-se como se eu não conseguisse formar um palavra sequer, alias talvez seja porque eu já não tenha mesmo muito a dizer, por mais que eu goste de brincar com as palavras de formar frases soltas, dizer coisas bonitinhas e até algumas sem noção, tem horas que tudo o que sobra é o silencio. E não existe barulho mais perturbador do que aquele que se esconde na quietude de uma alma bagunçada, e na minha tem tanta coisa fora do lugar, tantas coisas espalhadas, empoeiradas, algumas que eu nem sei se são mesmo minhas, espaços que já foram habitados mas que são hoje apenas vazios não preenchidos.
Eu tento falar porque eu de alguma forma sei o calor que as palavras podem transmitir, ainda que eu me perca, mesmo que não seja compreendido.
Eu gosto e eu quero falar de amor, ainda que dele saiba muito pouco, é  sobre o amor sabemos não apenas pelo que lemos, pelos que ouvimos falar, mas pelo que vivenciamos, talvez seja pelas varias experiencias que já adquirimos com o longo do tempo ainda que nosso tempo não tenha sido assim tão longo, mas a coisa tem mais a ver com suspiros, calafrios, falta de sentidos do que com toda padronização de; "a coisa toda é como de fato tem que ser" o que na verdade rejeita toda forma de relativismo, bleeeeé, alias tudo isso não tem a menor importância.
A gente sabe dessa coisa que muitas vezes não queremos dar o nome; quando a saudade é mais intensa que de tão intensa faz doer, quando fechamos os olhos e sentimos aquela sensação estranha de que é possível sentir até a respiração, ou quando as lembranças vem em números que a memoria sabe que são datas que não podem ser esquecidas; primeiro encontro, primeiro beijo, a data do pedido essas coisinhas fofas. 
A gente entende de amor não porque de fato entenda, mas porque na matéria de sentir a gente é graduado, vamos mesmo é despido, sem medo, sem receios, abraçamos o desconhecido e mergulhamos na vulnerabilidade do sentir, depomos as armas e o resto é no escuro e sabe-se lá o que tem nessa escuridão.
Mas todo amor que se preze deseja apenas uma, sim senhoras e senhores eu disse UMA. E tão somente uma coisa apenas; "reciprocidade". (há quem discorde)
Porque todo sentir deve vir acompanhando de uma ação, não importa o tamanho do sentimento, nem as milhares de palavras bonitas que vem acompanhadas dele, o que de fato vai fazer toda a coisa valer a pena é o quanto somos capazes de transformar as borboletas no estomago em inspiração para voar, amar é dar asas ao desejo de fazer alguém feliz, é perder a fala, é ficar sem argumentos, é não ter pressa sabendo que não temos tempo a perder.
Quantas vezes você já se apaixonou pela mesma boca, pelo mesmo sorriso, pela mesma voz, pelo mesmo abraço, pelo mesmo cheiro.
Amar tem muito dessa coisa de chorar, rir, espernear, rir mais uma vez, chorar de novo e de novo, é mudar conceitos quebrar paradigmas é perder o controle de si, é querer cuidar tanto de alguém, dar carinho, dar abrigo, dar colo, dar a vida.
E sim a gente faz tudo isso sem querer nada em troca, mas a real é que sim a gente quer, pode parecer contraditório, não escolhemos a quem amar, mas o amor que damos no fundo é o que queremos receber, alguém que não me lembro agora já disse isso, a gente faz tudo isso porque no fundo a gente só precisa ser amado, o amor é quem sabe uma tentativa de respostas ou a procura delas, respostas essas que talvez jamais tenhamos, é que no meio da escuridão pode ser que demore mas a gente vai perceber que amar por dois é sofrimento em dobro, que essa coisa toda do desconhecido é mais prazerosa de mãos dadas, é mais gostosa quando dois é um, quando a nossa metade tem coragem de ser por nós o que seriamos por ela de olhos fechados. 
O amor não exige nada além do amor, mas ele não cabe em teorias, não sobrevive de promessas vazias, exige coragem e por muitas vezes pede escolhas. Não há limite de tempo. Comece quando quiser aposte em finais felizes.